Blog Quero me Formar — Organização & Finanças: O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida

1 de fevereiro de 2020

O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida

Nos últimos meses você certamente ouviu por aí que "a Selic caiu", "taxa de juros abaixo dos 5%" e frases do tipo. Mas o que são taxas de juros? O que é a Selic? Como tudo isso interfere na sua vida, especialmente financeira?

Nesse post, entenda de forma descomplicada o que são taxas de juros e como interferem na sua vida para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro!


Mãos masculinas segurando celular com calculadora sobre a mesa

Você provavelmente já notou que tudo o que envolve dinheiro é bastante complexo, seja em termos "micro" (no nosso dia a dia) ou "macro" (a economia do país ou do mundo como um tudo). 

Existem diversos mecanismos que fazem parte do nosso sistema econômico e que têm por objetivo manter a economia, se possível, em ordem. Um desses mecanismo é a taxa de juros.


MAS O QUE SÃO TAXAS DE JUROS E COMO ELAS INTERFEREM NA SUA VIDA?

Taxa de juros consiste em uma remuneração percentual a ser paga ou recebida em operações financeiras que envolvem a transferência de capital, seja investido ou tomado (emprestado). 
Ou, ainda, podem ser consideradas como o preço pela utilização temporária do capital de um terceiro.

Em empréstimos e financiamentos, por exemplo, é cobrado pela instituição financeira que o valor emprestado seja pago ("devolvido") com um acréscimo, ou seja, os juros, que podem ser entendidos como o "aluguel" a ser pago para ter esse dinheiro (também chamado de "capital") emprestado.

Ao pagar por esses juros, você está desembolsando um valor em dinheiro (monetário), contudo, de onde vem esse valor?

O juro é calculado a partir do valor tomado ou investido (chamado de "principal") em relação a um valor percentual, a chama taxa de jurosDigo em relação a um valor percentual pois existem dois tipos de juros, o simples e o composto.


Juros Simples e Juros Compostos

Os juros simples resultam da simples multiplicação da taxa percentual pelo principal (valor original e ainda sem acréscimos a ser investido ou emprestado). 

Ou seja, se você fosse investir o seu dinheiro ou tomar um empréstimo no valor de R$1.000,00, cuja capitalização fosse pelo regime de juros simples à uma taxa de 3% ao ano, após 3 anos você deveria resgatar do seu investimento ou quitar o seu empréstimo no total de R$ 1.090,00 (1.000 x 3% x 3 anos), em que: 
- ao fim do primeiro ano: R$ 1.030
- ao fim do segundo ano: R$ 1.060
- ao fim do terceiro ano: R$ 1.09o

Contudo, segundo professor de Matemática Financeira que tive na universidade, esse regime é praticamente inexistente no mercado. Normalmente as operações financeiras utilizam o regime de juros compostos.


Juros compostos são os "juros sobre juros" que conhecemos popularmente. Ou seja, são aqueles que fazem a maioria das dívidas não pagas virarem uma bola de neve, como o cartão de crédito e cheque especial, portanto, fique sempre atenta aos seus gastos e tome cuidado com os juros compostos das suas dívidas.


No regime de juros compostos, a conta não é uma simples multiplicação do capital pela taxa, pois o juros do período seguinte (próximo mês, por exemplo), será calculado a partir do capital acrescido dos juros do mês anterior, ou seja, os juros se acumulam ao longo dos períodos, daí a expressão "juros sobre juros". 

Logo, no exemplo dos R$1.000,00 emprestados ou investidos acima, considerando uma operação que dure 3 anos a uma taxa de 3% ano, teríamos:
- ao fim do primeiro ano: R$ 1.030
- ao fim do segundo ano: R$ 1.060,90
- ao fim do terceiro ano: R$ 1.092,727

Percebeu a diferença com relação aos juros simples? Ao final de 3 anos teríamos uma dívida ou um rendimento de R$ 2,73 a mais no regime de juros compostos, que é o regime que predomina no mercado.


Mulher de calça jeans sentada pernas cruzadas contando dinheiro
O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida

A diferença não se mostrou tão expressiva neste exemplo pois trabalhamos com um capital e taxa baixos, mas você pode experimentar fazer cálculos com valores, taxas e períodos maiores.

No cotidiano, normalmente quando alguém nos pede algum dinheiro emprestado, cobramos apenas que a pessoa nos devolva a mesma quantia que lhe foi dada, contudo, em quaisquer outras negociações financeiras, todo e qualquer capital emprestado deve ser devolvido acompanhado de um acréscimo e normalmente no regime de "juros sobre juros", portanto, esteja sempre prestando atenção às suas operações financeiras do dia a dia, principalmente se você utiliza cartão de crédito e cheque especial!


Por que as taxas de juros existem? 

O juros leva em conta principalmente o conceito de valor do dinheiro no tempo, ou seja, o valor (entendido com o poder de compra) do dinheiro varia e, normalmente, diminui com o passar do tempo. Ou seja, é provável que R$1,00 hoje esteja valendo mais do que R$1,00 amanhã e, por isso,  essa perda do poder de compra é compensada pela taxa de juros.

Ao investir R$10.000 ao longo de anos, é ideal que, no momento de resgate do seu investimento, você recupere um valor que seja igual ou superior ao poder de compra que esses R$10.000,00 teriam no momento em que você investiu. 


Em termos práticos, se em 2020 você conseguisse comprar 5 computadores com R$10.000 mas decidisse investir esse dinheiro por 5 anos, você estaria tendo resultados vantajosos se, ao fim dos 5 anos, você tivesse de volta os seus R$10.000 acrescidos que um valor que, no total, fosse suficiente para comprar (de preferência) mais de 5 computadores.

E quando se trata de poder de compra, logo nos lembramos da inflação, pois ela é a responsável pela deterioração do poder de compra da nossa moeda. Em termos simplistas, é ela que faz o nosso dinheiro valer menos e, em partes, é a responsável por expressões do tipo "X reais não é nada hoje em dia". 

Por isso, é preciso estar atenta, ainda, aos dois tipos de taxas de juros:

Taxa de Juros Nominal
É a taxa de juros contratada (acordada entre as partes). 
No nosso exemplo, a taxa de juros nominal é aqueles 3% ao ano, ou seja, a taxa que temos conhecimento no momento em que aplicamos o dinheiro ou tomamos um empréstimo. Mas ela considera o valor do dinheiro no tempo?

Taxa de Juros RealA não ser que a inflação no período seja igual a zero, as taxas de juros real e nominal não serão iguais, pois a taxa de juros real leva em consideração a inflação, ou seja, o valor do dinheiro no tempo.

Portanto, é possível que, antes de fazer um investimento, por exemplo, você consulte a inflação esperada para o período e analise a taxa de retorno (juros oferecido pelo seu capital - taxa nominal) e decida se o seu investimento será viável.

Logo, a taxa real subtrai da taxa nominal a inflação enquanto a taxa nominal a desconsidera.

Em suma, você deve ter em mente esses três termos quando o assunto são os juros:

- capital: o valor principal, a ser investido ou emprestado/tomado e sem acréscimos
- taxa: a taxa que direciona a proporção do capital que será cobrada adicionalmente em juros
- período: unidade de tempo, ou seda, dia, mês, ano, trimestre e etc. em que o dinheiro será emprestado, tomado ou investido.

E por que as taxas de juros são tão importantes?

A riqueza não é igualitariamente distribuída entre a sociedade, logo, existem aqueles que possuem dinheiro com sobra e querem fazê-lo virar mais dinheiro e aqueles que precisam de dinheiro para financiar seus sonhos, seus negócios e até mesmo o seu consumo.

Logo, operações de crédito (dinheiro emprestado) acontecem a todo momento na economia e, portanto, precisam ser reguladas.

Se não existisse uma referência de taxa de juros na economia, os bancos e instituições financeiras cobrariam as mais altas taxas que fossem possíveis, enquanto o consumidor desejaria pagar taxas sempre mais baixas.

É por isso que existe uma taxa básica de juros da economia que, no Brasil, é a famosa Taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia).

Segundo o próprio Banco Central, a Selic "é o principal instrumento de política monetária utilizado pelo Banco Central (BC) para controlar a inflação. Ela influencia todas as taxas de juros do país, como as taxas de juros dos empréstimos, dos financiamentos e das aplicações financeiras" (BC, 2020). 

A Selic meta é definida em reuniões periódicas do Comitê de Política Monetária do BC (Copom) e é apurada com base nas operações diárias de empréstimos entre as instituições financeiras que utilizam títulos públicos federais como garantia. 

Confira o infográfico do Banco Central sobre como as alterações na taxa Selic afetam o mercado:
Infográfico Banco Central Taxa Selic

Agora ficou mais fácil entender por que as taxas de juros são tão importantes, né?

Apesar de que talvez você não sinta os efeitos de forma significativa quando ocorre alguma mudança na taxa Selic, essas alterações têm consequências que afetam a economia do país de várias formas e, principalmente, os empréstimos, financiamentos e investimentos.

Então como a taxa de juros interfere na sua vida?

De forma simples, muitas operações financeiras consistem em empréstimos.
O cartão de crédito é uma espécie de financiamento de curtíssimo prazo, em que você pode fazer suas compras e ganha um pequeno prazo para pagar e, quanto mais parcelar, mais juros pagará. 
Portanto, como no infográfico acima, uma alteração na taxa básica de juros (Selic) refletirá nas taxas cobradas pela sua operadora de cartão.

Segundo a Gazeta do Povo, quase 80% da população brasileira utiliza o cartão de crédito, ou seja, uma alteração na taxa de juros pode afetar quase 80% da população.
A pesquisa indica, ainda, que 72% dos usuários de cartão de crédito não têm conhecimento a taxa de juros do crédito rotativo (aquele que permite que você pague um valor inferior ao total da fatura enquanto os juros incorrem sobre o valor em aberto) e o próprio Serasa recomenda que você tenha conhecimento dessas taxas

Percebe como é importante entender todos esses conceitos?

Mantendo-se informada sobre a taxa básica de juros da economia, quando for contratar algum empréstimo ou financiamento, você deve consultar várias instituições financeiras e comparar as taxas oferecidas, analisando se estão muito acima da taxa Selic e eliminando das suas opções as taxas de juros abusivas (que são muito recorrentes no Brasil).

Mas nós, meros consumidores, também emprestamos dinheiro, por isso é tão importante entender sobre as taxas de juros e como elas influenciam a sua vida. Mesmo quando você apenas deixa o seu dinheiro na poupança, está de certa forma emprestando o seu dinheiro ao banco, que irá utilizá-lo para conceder empréstimos aos seus clientes a taxas muito maiores e irá lhe devolver uma pequena parte do retorno obtido, o chamado spread bancário.

Inclusive, a poupança é um "investimento" atrelado à taxa Selic, portanto, quando a taxa Selic cai, os rendimentos da poupança também ficam comprometidos. Não só a poupança, mas também outros investimentos como o Tesouro Direto. Portanto, se você é um investidor mais conservador, alterações nas taxas de juros certamente afetarão você.

Esses investimentos atrelados à uma taxa de juros são chamados de investimentos de renda fixa, portanto, quando as taxas de juros estão mais baixas, esses investimentos tornam-se menos atrativos, apesar de serem mais seguros. Enquanto que, ao contrário, quando as taxas de juros se elevam, muitas das vezes, esses investimentos de renda fixa atraem muitos investidores, por se mostrarem mais rentáveis (nestas situações) e mais seguros.


Ilustração Vetores Freepik O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida
O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida

Vale dizer, ainda, que existem dois tipos de taxas, fixas e variáveis.
A taxa de juros fixa, como o próprio nome sugere, é constante durante todo o período em questão. Em um investimento contratado a uma taxa fixa, por exemplo, é possível saber exatamente quanto você resgatará no final, pois esta taxa não estará atrelada a nenhuma variação (Selic ou inflação, por exemplo). 

Em um ambiente de instabilidade econômica ou quando as taxas de juros estão muito baixas e a previsão é de continuem sendo reduzidas, pode ser interessante optar por investimentos desse tipo.

A taxa de juros variável não será constante ao longo do tempo. Em se tratando dos investimentos, não é possível saber exatamente quanto do valor investido será resgatado, portanto, torna-se interessante quando a estimativa é de taxas de juros mais altas para os próximos períodos.

Dessa forma, quando as taxas estão mais baixas (atualmente), pode ser viável recorrer a financiamentos (de forma consciente) para adquirir bens como imóveis e veículos e, para quem já se encontra endividado, pode ser o momento de tentar refinanciar suas dívidas com juros mais baixos ou buscar um empréstimos a taxas menores para quitar a dívida.

Não obstante, ainda segundo o infográfico do BC, a alteração das taxas de juros também podem ser utilizadas para aquecer a economia e controlar a inflação.

Logo, um momento de baixas taxas de juros pode ser favorável para pegar um empréstimo, além de ser favorável ao consumo no geral (o que trás benefícios para a economia), contudo, esse excesso de demanda dos consumidores pode desencadear em níveis mais altos de inflação e, para controlá-la, o governo pode elevar a taxa de juros novamente.

Isso é perfeitamente normal pois, como dizem os economistas, a economia é cíclica, ou seja, vivemos momentos de crises e aquecimento econômico periodicamente. Contudo, é preciso ter conhecimento e estar atenta a todas essas mudanças que podem afetar seu bolso.


CONSIDERAÇÕES FINAIS — O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida
Estamos inseridos em um sistema econômico em que, naturalmente, somos afetados por suas mudanças.

Devido a isso, frequentemente ouvimos ou lemos nos noticiários que as taxas de juros subiram ou caíram e nem sempre entendemos como isso afeta a nossa vida, especialmente financeira.

O intuito desse artigo é explicar de forma descomplica o que são as famigeradas taxas de juros e como elas interferem na sua vida, visto que possuímos a nossa taxa básica de juros - a Taxa Selic, que serve como referência para toda a economia, para alguns investimentos (principalmente o Tesouro Direto) e para a poupança, além de que taxa de juros pode ser utilizada pelo governo como um mecanismo para controlar a inflação (quando ela aumenta) ou para incentivar o consumo e aquecer a economia (quando ela é reduzida).

Em suma, é preciso estar atenta às alterações nas taxas de juros, entendendo como ela afeta o seu bolso e quando a sua alta ou baixa representa uma oportunidade ou ameaça para as suas dívidas e seus investimentos.

Espero que esse artigo tenha te ajudado a entender mais sobre as taxas de juros e a interferência delas na sua vida. Me conta nos comentários o que você achou desse post e o quê mais você gostaria de saber sobre esse assunto!

Para aprender mais sobre finanças pessoais e planejamento, clique aqui.
+ Siga o blog nas redes sociais:
Instagram@blog.queromeformar
Pinterest
/queromeformar

+ PINE A IMAGEM PARA NÃO ESQUECER!
Imagens para Pinterest O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida


+ GOSTOU DAS DICAS? SALVE O INFOGRÁFICO!
Infográfico O que São Taxas de Juros e Como Interferem na Sua Vida



Crédito rotativo: entenda como funciona - Serasa Ensina. Acesso em 13/01/2020.

Matemática Financeira: Definição de Taxa de Juros - Unemat. Acesso em 12/01/2020.

O que são taxas de juros - Genial Investimentos. Acesso em 12/01/2020.

Taxa de juros: como funciona e quais tipos existem? - Toro Investimentos. Acesso em 12/01/2020.


Taxa Selic - Banco Central do Brasil. Acesso em 12/01/2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Lembre-se de que todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do autor.
- Não pratique spam!
- Deixe a opção "Notifique-me" marcada para que você receba uma notificação quando seu comentário for respondido.