Blog Quero me Formar — Organização & Finanças: Aprenda Como Formar a Sua Reserva de Emergência e Onde Aplicá-la

4 de abril de 2020

Aprenda Como Formar a Sua Reserva de Emergência e Onde Aplicá-la

Como se preparar para momentos de crise e se assegurar financeiramente? Aprenda um passo a passo de como formar a sua reserva ou fundo de emergência e não fique sem dinheiro quando se deparar com um imprevisto!

Imprevistos acontecem e devemos estar preparados para eles. Seja uma demissão inesperada, uma queda no faturamento do seu negócio ou surto de uma doença, como o COVID-19 que estamos vivenciando em 2020.

Dessa maneira, é importante ter a sua reserva de emergência para se manter segura financeiramente mesmo nos momentos de crise.

A reserva (ou fundo) de emergência é uma quantia reservada momentos de necessidade não planejados ou gastos que podem desequilibrar o seu orçamento.

+ Caso você tenha dificuldades para compreender algum termo deste artigo, acesse o post "Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo" e leia o tópico "Entenda a linguagem do mercado".

Agora saiba mais sobre a reserva de emergência.

O que é uma reserva ou fundo de emergência?

Como dito acima, ela consiste em um recurso cuja principal finalidade é te dar segurança financeira e manter o seu padrão de vida em um momento de necessidade inesperada, sem que precise pedir dinheiro emprestado ou acumular dívidas em situações de crises.

Afinal, o capital financeiro (proveniente de empréstimos, financiamentos e cartões de crédito) são os mais onerosos, tanto para as empresas quanto para as pessoas físicas, logo, o ideal é que você jamais fique dependente dos bancos e instituições financeiras, menos ainda em momentos de "aperto".

Dessa forma, esse dinheiro, se aplicado, deve oferecer a possibilidade de ser rapidamente resgatado sem prejuízo da rentabilidade ou da quantia aplicada, dado que sua finalidade é ser usado me momentos de necessidade que você não pôde prever.

Resumidamente, essas são as principais características de uma reserva de emergência:
  • não ser destinada a compra de nenhum bem no futuro, ou seja, deve ficar apenas à disposição de imprevistos;
  • poder ser resgatada a qualquer momento sem que você tenha qualquer prejuízo, seja da quantia aplicada/depositada por você ou da rentabilidade, caso o dinheiro esteja em uma aplicação.

Caso você tenha algum dinheiro guardado mas que não atenda a essas características, você não tem uma reserva de emergência, pois ou ela lhe fará falta no futuro ou você terá dificuldades de resgatar esse dinheiro num momento emergencial.

Logo, esses dois pilares são extremamente importantes.


Quem precisa compor uma reserva de emergência?

Como você pode deduzir, é recomendado que todos possuam um recurso emergencial, pois todos estamos sujeitos aos imprevistos, logo, por que não não estarmos preparados?

Visto que essa é a finalidade de uma reserva de emergência, todos deveríamos fazê-la.

Segundo a XP Investimentos:
"Quando não se tem uma reserva de emergência, tanto o presente quanto o futuro das famílias ficam comprometido. Esse é um dos erros que você precisa evitar.".

De quanto precisa ser a sua reserva de emergência?

Isso depende de alguns fatores, como:
  • seu custo de vida e seus hábitos de consumo
  • sua fonte de renda
  • número de pessoas que dependem de você

O ideal é que sua reserva de emergência seja suficiente para cobrir o seu custo de vida mensal durante um período determinado, segundo os critérios acima.

Antes de determinar de quanto será a sua reserva, você deve levar em conta também quantas pessoas dependem da sua renda, ou seja: se você se sustenta sozinha, apenas os seus hábitos de consumo importam mas, caso você tenha uma família a que precise sustentar, os gastos de toda a família devem entrar no cálculo.

A sua fonte de renda também importa: se sua renda provém de trabalho assalariado, você ainda pode contar com verbas trabalhistas e seguro desemprego caso seja dispensada sem justa causa do seu emprego, além de benefícios previdenciários em caso de doença,  por exemplo. Logo, você tem uma folga um pouco maior com relação a imprevistos.

Já no caso de empresários e autônomos, não há muito com o que se pode contar  (no máximo, benefícios previdenciários em caso de doença) e, por isso, deve-se compor uma reserva por um período maior de tempo.

Logo, recomenda-se uma reserva correspondente a 6 meses do seu custo de vida (ou da sua família) em caso de trabalho assalariado e 12 meses em caso de trabalho autônomo.

Esta é apenas uma recomendação já bastante consolidada nas finanças pessoais mas, é claro, cabe a você determinar de quanto será a sua reserva de emergência.

Considere o exemplo:
Como achar o valor de quanto será a sua reserva de emergência


Como fazer uma reserva de emergência?

A não ser que você acabe recebendo uma grande quantia de dinheiro e consiga formar integralmente o seu fundo emergencial, essa reserva será feita gradualmente, ou seja, você precisará ir guardando o seu dinheiro pouco a pouco, até que corresponda à quantia ideal para o seu fundo de emergência.

Logo, você precisará se planejar para destinar parte da sua renda a esse objetivo.


1º Controle os seus gastos

Devido à falta de educação financeira enraizada na cultura brasileira, é comum que as pessoas não guardem dinheiro e, pior, até gastem mais do que ganham, tornando-se cada vez mais envidadas.

Por isso, o primeiro passo deve ser rever o seus hábitos de consumo e controlar seus gastos.

Vamos ser lógicos: se você gasta todo o seu dinheiro como espera ter dinheiro no futuro — ou mesmo no fim do mês?

O segredo para sempre ter dinheiro não é sair gastando tudo o que ganha, é claro, mas sim viver um degrau abaixo ou, como diz Thiago Nigro, sacrificar o conforto presente para usufruir de mais conforto no futuro.

+ Como controlar os seus gastos em apenas 3 passos simples

Se analisar bem os seus gastos, certamente perceberá vários desembolsos supérfluos que você pode tranquilamente eliminar ou reduzir. Do mesmo modo, você deve sempre separar consumo de felicidade.

O consumismo é o escape para algum problema pessoal, logo, se você tem hábitos financeiros "extravagantes", aconselho que você reflita sinceramente com você mesma qual a razão desse comportamento e compreenda que gastar dinheiro não é o que te fará feliz. Até porque eu te garanto que ver a sua conta bancária "crescendo" te arrancará sorrisos bem mais duradouros. ;)

Se você precisa de uma forcinha para economizar e fazer o seu dinheiro sobrar, clique aqui.

Caso você não guarde os seus cupons fiscais ou não anote os seus gastos de nenhuma forma, comece o mais rápido possível (hoje ou no próximo mês) a registrar os seus gastos, seja em um "notas" no celular, em um aplicativo de controle financeiro ou em planilhas. Faça esse controle por menos 3 meses enquanto segue os próximos passos!

+ Eu recomendei um excelente app de controle de gastos nesse post e disponibilizei uma folha de controle financeiro gratuita para download aqui.

Caso contrário, sua única alternativa será ganhar mais (fazer renda extra) e guardar o que receber para a sua reserva.


2º Monte um orçamento e planeje os seus gastos
Agora que você já sabe quanto gasta, em média, por mês, você tem mais autoridade para fazer o seu orçamento pessoal.

Nele, você deve estimar de quanto será a sua renda bem como o seu limite de gastos, de forma que você cubra todas as suas despesas essenciais, seus gastos com lazer de forma moderada e, principalmente, fazendo com que sobre uma parcela para a sua reserva de emergência.

Com base nos seus gastos, determine quanto gastará em cada categoria de despesa adicionado de uma margem de erro/imprevisto.

Confira um exemplo:


Renda de R$ 1.200,00
Gastos máximos:
  • Alimentação: R$200,00
  • Moradia: R$650,00
  • Educação: R$100,00
  • Lazer: R$ 100,00
Total: R$ 1.050,00
Sobra para a reserva de emergência: R$150,00


3º Planeje a composição da sua reserva
Já falamos acima como determinar o valor da sua reserva de emergência. Agora, vamos planejar em quanto tempo ela será composta.

O ideal, é claro, que você atinja o valor do seu fundo o mais rápido possível mas não é necessário extrapolar as suas possibilidades.

Seguindo o nossos exemplos, teríamos R$ 150,00 para investir mensalmente e uma reserva de emergência de R$ 9.600,00 para compor, logo, 9.600/150 = 64 (meses).

Isso significa que seriam necessários 64 meses para compor a sua reserva de emergência sem a ação dos juros compostos.

Utilize simuladores de investimentos para calcular quanto você precisaria guardar por mês ou em quanto tempo você atingiria o seu objetivo com o dinheiro que pode guardar mensalmente.

Simulação de aplicação para um reserva de emergência - Simulador Me Poupe!

Veja nessa simulação como os juros compostos te dão uma forcinha no seu objetivo. No final, sua reserva foi incrementada com mais de R$10% do valor investido!

Onde aplicar o dinheiro da sua reserva de emergência?

Como já falamos, a sua reserva de emergência deve estar em um lugar seguro e que não dificulte que você resgate o dinheiro quando precisar, você deve observar as características do investimento para que atendam aos requisitos de baixo risco e alta liquidez.

Isso porque, como esse dinheiro serve para cobrir emergências, ao aplicar ações e outros investimentos de renda variável, pode acontecer de você precisar desse dinheiro em um momento de baixa do mercado financeiro, afetando significante o seu capital.

Como já falamos em artigos anteriores, a rentabilidade é um prêmio pelo risco, logo, não se pode esperar rentabilidades muito altas em aplicações de baixo risco.

Contudo, isso não é um problema, afinal, a finalidade da sua reserva de emergência não é te deixar rica.

Como já explicamos neste artigo, deixar o seu dinheiro na poupança não é uma boa opção.

Principalmente no cenário atual das taxas de juros em patamares mínimos históricos, você poderia perder dinheiro aplicando na poupança e, evidentemente, também estará perdendo se também deixá-lo apenas parado em sua conta bancária.


Então, qual seria a melhor aplicação?

Os investimentos de renda fixa, por possuírem baixa volatilidade são os mais recomendados para as reservas de emergência.

Mas não saia aplicando o dinheiro da sua reserva em qualquer título de renda fixa: é preciso estar atenta à liquidez, isto é, o prazo com que a sua aplicação pode ser exigida/resgatada.

Devido as características de uma aplicação para a reserva de emergência, a XP Investimentos recomenda as seguintes aplicações:


[esta não é uma publicidade e nem uma recomendação - conteúdo meramente informativo]


1. Tesouro Selic

É um título emitido pelo governo, que busca captar recursos para financiar suas atividades. Esse investimento se subdivide em 3 outros tipos: Tesouro IPCA (rendimentos atrelados à inflação), Tesouro Prefixado (rendimento a juros predefinidos) e Letra Financeira do Tesouro (LFT ou o próprio Tesouro Selic), que oferece rentabilidade a 100% da taxa Selic, enquanto.

Esses investimentos são assegurados pelo Tesouro Nacional e é possível garantir liquidez diária. 

Confira os valores mínimos e taxas:
Como Investir Tesouro Selic



2. Certificado de Depósito Bancário (CBD)

Essa aplicação é um título privado de renda fixa emitido pelos bancos para a arrecadação de recursos, que serão utilizados pela instituição para conceder empréstimos e financiamentos aos seus clientes. Esse título rende mais do que a poupança, é garantido pelo FGC e oferece opções com liquidez diária e rendimentos pré, pós-fixado e híbrido. 

É possível investir no título a partir de R$100,00.

Ressalta-se que o título é emitido por um banco mas é possível investir em CDBs por meio de uma corretora e encontrar opções mais rentáveis do que as opções oferecidas pelo banco. Saiba mais sobre as corretoras de valores clicando aqui.

A recomendação da XP é de aplicar em um CBD com liquidez diária e rentabilidade de 100% da taxa CDI (taxa de juros aplicada nas operações entre bancos).



Confira uma simulação detalhada comparando investimentos de renda fixa:
Simulação Investimentos Renda Fixa
Fonte: site Tesouro Direto.



3. Fundos de Investimentos

O fundo é um "investimento coletivo" em que investidores reúnem seus recursos para aplicar em um conjunto de investimentos, que é controlado pela figura do gestor, com a possibilidade que este seja uma instituição ou um profissional (os fundos têm ainda outras figuras envolvidas). 

Os fundos são regulados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e existem diversos tipos, de renda fixa, variados e "mistos".

Existem muitos tipos de fundos de investimento, desde os mais simples aos mais robustos e é possível encontrar cotas por volta de R$100,00 ou até menos.

Algumas das vantagens de investir em fundos são bastante interessantes para quem tem pouco dinheiro e uma delas é a diversificação, porque os fundos podem ser compostos por diversos tipos de investimentos, como ações, CDBs, investimentos estrangeiros e muitos outros.

Outra vantagem é que os fundos são geridos por um profissional qualificado, o que também compensa para o investidor iniciante que ainda tem pouco conhecimento para investir.

A recomendação da XP é de optar por fundos com liquidez imediata, D+0, assim o dinheiro cai na sua conta no mesmo dia do resgate ou D+1, com liquidação no dia seguinte ao resgate.

Esses investimentos foram tratados de forma mais detalhada no artigo "4 Opções de Investimento para Quem Tem Pouco Dinheiro", em que falo da rentabilidade, riscos e custos de cada um. Clique aqui para conferir.

Ressalta-se que não é necessário acumular o saldo da sua reserva primeiro para depois aplicá-la, bem pelo contrário: comece a aplicar mensalmente parte da sua renda, aproveitando a ação dos juros compostos como vimos acima e evitando a desvalorização do seu dinheiro no tempo.


O que a sua reserva de emergência deve cobrir?

Isso é pessoal e pode, inclusive, ser determinado por você.

Genericamente, a reserva de emergência é utilizada em momentos de "turbulência" profissional ou pessoal, como:

  • gastos com remédios e tratamentos de um problema de saúde grave;
  • danos ou sinistros de automóvel em caso de acidente;
  • pedido de ajuda familiar inesperado;
  • taxas e impostos vincendos no início do ano;
  • oportunidades;
  • desemprego.
Adaptado de: Do Mil ao Milhão Sem Cortar o Cafezinho. Thiago Nigro. Harper Collins (2018). Compre na Amazon. Compre na Americanas. Compre no Shoptime. Compre no Submarino.



O que fazer depois de compor a sua reserva de emergência?

Agora que você já está preparada para imprevistos e [eu espero] já está habituada à guardar mensalmente parte da sua renda, você pode optar por expandir a sua reserva ou fazer aplicações menos conservadoras. Tudo vai depender dos seus planos.

No post sobre como aprender a investir do zero nós falamos sobre objetivos.

Com o propósito de realizar nossos desejos sem nos endividar, é ideal nos planejar antes de comprar algum bem de valor muito significativo ou fazer uma grande viagem, por exemplo.

O objetivo de algumas pessoas ao começar a investir é comprar uma casa ou um carro, fazer um intercâmbio, enquanto o de outras é conquistar a independência financeira.

Cada um desses objetivos levará um tempo diferente para ser concretizado e isso pode determinar o tipo de aplicação adequado, dado que o horizonte temporal da compra de um carro certamente será menor que o do objetivo de atingir a independência financeira.

Por isso, trace os seus objetivos para os próximos anos após compor o seu fundo de emergência e faça seus investimentos balizados nesses objetivos.

Se você pretende se casar ou aumentar a família, por exemplo, talvez o ideal seja expandir a sua reserva de emergência, enquanto que se você pretende fazer um intercâmbio daqui a 5 anos pode ser interessante fazer um investimento de menor liquidez e maior rentabilidade.

De qualquer forma, não utilize essa reserva para atender à nenhum desejo, como trocar de carro ou repintar a casa, por exemplo. Lembre-se que esse dinheiro deve mantê-la segura em momentos de necessidade e não de impulso.

Para aprender mais sobre investimentos, acesse o nosso guia


CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ter uma reserva de emergência é imprescindível a qualquer pessoa que deseja se manter segura nos momentos de necessidade inesperada.

Evidentemente, todos estamos sujeitos a imprevistos como uma demissão inesperada, queda no faturamento do negócio, crises econômicas, problemas de saúde e outros. Por isso, ter um fundo emergencial que possa resguardá-la nesses momentos é indispensável para manter as suas finanças saudáveis nesses momentos.

A sua reserva de emergência deve ser suficiente para cobrir o seu custo de vida durante um período de necessidade, te resguardando da necessidade de pegar empréstimos, se endividar no cartão de crédito ou ter de pegar dinheiro emprestado com familiares e amigos.

Ela deve levar em conta quem mais depende da sua renda além de você e representar o seu custo de vida (ou da sua família) por 6 meses se sua renda provém de trabalho assalariado ou por 12 meses se você é uma profissional autônoma.

Para não perder dinheiro na poupança, é recomendado aplicar o dinheiro da sua reserva de emergência em investimentos de baixo risco e alta liquidez, como Tesouro Selic e CDBs.

Depois de compor a sua reserva de emergência, é só traçar os seus objetivos financeiros e escolher os investimentos mais adequados às suas metas com a segurança de que não será pega desprevenida!

Espero que esse artigo tenha ajudado você. Me conta nos comentários se você já tem a sua reserva de emergência ou quando vai começar!


+ Siga o blog nas redes sociais:
Instagram@blog.queromeformar
Pinterest/queromeformar


+ PINE A IMAGEM PARA NÃO ESQUECER!
Imagens para Pinterest


+ GOSTOU DAS DICAS? SALVE O INFOGRÁFICO!
Infográficos Aprenda Como Formar a Sua Reserva de Emergência e Onde Aplicá-la



REFERÊNCIAS


LIVROS


Do Mil ao Milhão Sem Cortar o Cafezinho. Thiago Nigro. 
Compre na Amazon. Compre a versão para Kindle. Compre na Americanas. Compre no ShoptimeCompre no Submarino.

Pai Rico, Pai Pobre. Robert Kiyosaki e Sharon L. Lechter.
Compre na Amazon. Compre a versão para Kindle. Compre na Americanas. Compre no ShoptimeCompre no Submarino.


SITES


O que é reserva de emergência?. Blog XP.

O que é reserva de emergência e como planejar a sua. Blog - BTG Pactual digital.

Reserva de Emergência. Conteúdos XP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Lembre-se de que todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do autor.
- Não pratique spam!
- Deixe a opção "Notifique-me" marcada para que você receba uma notificação quando seu comentário for respondido.