Blog Quero me Formar — Organização & Finanças: Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo

22 de fevereiro de 2020

Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo

O melhor momento para começar a investir é o agora, mas, antes de mais nada, é necessário ter conhecimento. Aprenda do zero como começar a investir o seu dinheiro com esse guia completo e faça o seu patrimônio se multiplicar!

Mesa com cadernos, planilhas e caneta em cima
Quais são as desculpas que você já deu a si mesma para não cuidar do seu dinheiro?
Você que não tem tempo? Ou que não tem muito dinheiro? Talvez que você já não tem mais idade para isso?

Seja qual for a sua justificativa, adianto que após ler esse artigo você não vai ter mais nenhuma desculpa para negligenciar as suas finanças e deixar de investir o seu dinheiro!

Esse artigo tem por objetivo te ensinar do zero como começar a investir o seu dinheiro por meio de um guia completo que vai desde os termos técnicos até a os custos de começar a investir. Confira!



AVISO: ESTE ARTIGO NÃO É UMA RECOMENDAÇÃO. CONTEÚDO MERAMENTE INFORMATIVO.


APRENDA DO ZERO COMO COMEÇAR A INVESTIR O SEU DINHEIRO — GUIA COMPLETO


Falar sobre finanças no Brasil é sempre muito controverso e, para algumas pessoas, desconfortável.

Infelizmente, não é ensinado sobre dinheiro nas escolas e, por isso, a educação financeira é tão falha no país, fazendo com que maus hábitos financeiros fossem repassados ao longo de muitas gerações.

Não obstante, muitos mitos são espalhados sobre dinheiro e riqueza, fazendo com que as pessoas repudiem a riqueza e a confundam com ganância e falta de caráter.

Por conta disso, para aprender a começa a investir do zero, é imprescindível que você comece pela construção de um mindset da riqueza.


1º DEFINA SEU OBJETIVO E FAÇA UM PLANEJAMENTO


Você já ouviu dizer que "o dinheiro é a raiz de todo o mal" ou que pessoas ricas são más?
Esse é um dos maiores mitos sobre dinheiro e você certamente deve libertar-se dele.

Cada pessoa segue uma doutrina e o seu caráter independe da sua condição financeira. Logo, quando você vê uma pessoa que, ao enriquecer, tornou-se má ou, ainda, que enriqueceu por meio de atitudes desonestas ou ilegais, isso diz respeito apenas ao caráter deste indivíduo e não sobre o efeito do dinheiro em sua personalidade.

Quem [aparentemente] se torna uma pessoa ruim por causa do dinheiro, na verdade, sempre foi ruim e apenas revelou-se por causa da riqueza.

Ressalta-se, ainda, que muitos dos donos das maiores fortunas do mundo estão envolvidos com filantropia, como Mark Zuckerberg, Bill Gates, George Lucas. Logo, não é necessário discutir que uma pessoa de bom caráter não se corrompe pelo dinheiro, mas sim que o dinheiro revela quem a pessoa realmente é.

Mas o que isso tem a ver com os seus objetivos financeiros?

Você deve ter em mente que a principal finalidade dos investimentos é fazer o seu dinheiro se multiplicar, ou seja, fazer o que dinheiro que você já tem virar cada vez mais dinheiro numa bola de neve de juros compostos.

+ Não deixe de conferir:

Portanto, se você quer começar a investir o seu dinheiro, isso significa que você quer ter dinheiro para conquistar coisas que são importantes para você, como: se aposentar aos X anos, atingir sua independência financeira, comprar uma casa, comprar um carro zero ou financiar os estudos dos filhos, por exemplo.

Contudo, se você tem enraizado em sua mente que o dinheiro é a raiz de todo mal ou que ele só traz problemas, você acha que seu mindset está alinhado com o seu objetivo?

A resposta claramente será não, pois, como você poderá abominar os ricos ao mesmo tempo em que deseja ser um deles ou, no mínimo, ter parte do patrimônio deles?


Querer ser rico ou ganhar muito dinheiro não significa ser uma pessoa gananciosa, desde que você esteja disposto a alcançar seus objetivos por meios lícitos, honestamente e planejar grandes e boas realizações com o dinheiro que ganhar.

Portanto, se você confia em seu caráter e suas crenças [religiosas ou não], ganhar muito dinheiro poderá lhe trazer apenas coisas boas, além de proporcionar um futuro melhor e mais confortável a você e sua família.

Para definir os seus objetivos financeiros de maneira clara para obter um maior direcionamento na hora de começar a investir. Liste todos os seus objetivos financeiros, reflita sobre eles, defina quais são as suas maiores prioridades e quais, porventura, poderiam ser consequência de outros.

Se o seu objetivo por conquistar sua independência financeira, por exemplo, objetivos como comprar um carro ou financiar estudos dos filhos poderiam já ser uma consequência. Você pode chegar à sua meta de independência financeira utilizando simuladores de independência financeira.


EXEMPLO: Simulador de Investimentos Me Poupe!


2º ENTENDA A LINGUAGEM DO MERCADO


Quantas palavras eu disse até aqui que você não entendeu perfeitamente ou não sabe o significado?

Se você está aprendendo do zero a investir o seu dinheiro, é imprescindível que você entenda exatamente o que está sendo lhe ensinado, pois de nada adiantará obter um turbilhão de informações sobre investimentos se elas não estiverem suficientemente claras para você, portanto, aqui vai [de forma rápida e objetiva] alguns dos principais jargões dos investimentos (segundo o Dicionário Financeiro e Wikipédia):

mindset: sua mentalidade, ou seja: pensamentos e comportamentos.

independência financeira: renda mensal suficiente para manter o seu custo de vida sem precisar trabalhar.

mercado: mercado financeiro ou mercado de capitais; ambiente de negócios que reúne indivíduos que desejam comprar e vender nas operações financeiras.

patrimônio: conjunto de bens, direitos e obrigações (dívidas).

ativos: parte "positiva" do seu patrimônio (contempla os bens e direitos), por isso, alguns investimentos também são chamados de "ativos financeiros" ou simplesmente "ativos".

passivos: parte "negativa" do patrimônio (dívidas).

aplicação: deixar o seu dinheiro em uma operação financeira com o intuito de obter retorno.

aporte: nos investimentos, está relacionado à aplicação do dinheiro no investimento em questão.

resgate: retirar/recuperar o dinheiro de um investimento.

retorno ou rentabilidade: taxa percentual paga pelo dinheiro aplicado no investimento.

risco: associada à probabilidade de que você perca o dinheiro aplicado.

liquidez: facilidade com que você consegue resgatar o dinheiro investido (está relacionado ao tempo, ex.: dias).

títulos: sinônimo de valores mobiliários, são os próprios investimentos (nomenclatura utilizada normalmente para investimentos junto ao governo e bancos).

carteira: grupo de todos os ativos que pertencem a um indivíduo.


    Faltou algum termo que não foi citado aqui? Deixe nos comentários!   



3º ENTENDA A DIFERENÇA ENTRE ATIVOS E PASSIVOS


No nosso pequeno glossário acima você viu o que é um ativo e o que é um passivo, contudo, como essa diferença é verificada na prática?

A principal diferença entre ativo e passivo está na direção em que o dinheiro flui.

O ativo é constituído por bens e direitos no sentido contábil, portanto, quando tratamos das finanças pessoais, ativos são principalmente os direitos, ou seja, aplicações que gerarão retorno e somarão [positivamente] no seu fluxo de caixa. 
Diz-se que os ativos são a parte positiva do patrimônio pois contribuem para o seu aumento e, portanto, o dinheiro flui para o seu bolso. Exemplos de ativos são os próprios investimentos.

Ao contrário, os passivos são as obrigações e, portanto, geram dispêndios financeiros. Ou seja, fazem o dinheiro "fluir para fora" do seu bolso. Exemplos de passivos são a compra de bens como casa própria e veículos com o intuito de uso pessoal, visto que esses bens geram obrigações como manutenção e impostos periodicamente.

Entender esses conceitos é fundamental para aprender do zero a investir o seu dinheiro, contribuindo para a construção de um mindset de riqueza, cuja principal premissa é investir em ativos pois, como foi conceituado, os ativos somam ao seu patrimônio, fazendo-a ter cada vez mais dinheiro, enquanto os passivos apenas diminuem o seu patrimônio.

Logo, é ideal que, ao começar a investir o seu dinheiro, você priorize a compra de ativos e se planeje para adquirir passivos quando já tiver atingido um patrimônio suficiente para comprá-los sem desfalcar seus investimentos.


+ Salve o infográfico abaixo para se lembrar sempre:


Infográfico Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo


4º SEMPRE BUSQUE CONHECIMENTO


Existem diversos investimentos disponíveis no mercado financeiro, portanto, antes de fazer o seu primeiro aporte é imprescindível que você esteja muito bem informado sobre o investimento em que irá aplicar o seu dinheiro.

Não é necessário comprar um curso ou gastar dinheiro com isso. Basta ler os artigos do nosso blog e fazer pesquisas na internet, visto que atualmente existe uma infinidade de conteúdos gratuitos em blogs, sites e no YouTube.


+ Se você desejar adquirir um curso online por um baixo custo, clique aqui.

Além dos conteúdos disponíveis na internet, você pode ainda aprender muito com os livros sobre investimentos.

Muitos deles foram escritos pessoas extremamente bem sucedidas há décadas atrás e foram lidos pelos principais milionários da atualidade. Você pode baixar livros ou ler online gratuitamente (saiba como clicando aqui) ou comprar os livros indicados pelo link abaixo e ajudar o blog:

+ PRINCIPAIS LIVROS SOBRE INVESTIMENTOS PARA INICIANTES:







5º DEFINA UMA QUANTIA PARA INVESTIR PERIODICAMENTE


Muitas pessoas ainda acreditam que é necessário ter grandes quantias para começar a investir, mas digo com muita felicidade que isso é um MITO!

Dependendo do investimento que você escolher, será necessário pouquíssimo dinheiro para investir!

Na renda fixa, um dos investimentos mais seguros e populares é o Tesouro Direto e você consegue investir nesse título com aportes a partir de R$30,00. Não obstante, na bolsa de valores é possível adquirir ações de boas empresas por menos de R$10,00 (e de outras não tão boas por até menos de R$1,00).

Agora você acredita que não tem desculpa para começar a investir?

Agora que você já sabe que não é necessário ter muito dinheiro para começar a investir, basta analisar as suas finanças e seu orçamento pessoal para definir uma quantia para aplicar.

É interessante que você faça aportes periodicamente [se possível, mensais], para que o seu patrimônio seja favorecido pela ação dos juros compostos (entenda clicando aqui) e fazer o seu dinheiro se multiplicar mais rápido. 

Não somente por isso, determinar uma quantia mensal para investir também te ajuda a aproveitar oportunidades que aparecerem no mercado, o que não é possível se você investir apenas uma vez.

Além disso, não adianta esperar que uma única aplicação [de baixo valor] irá te deixar rico, pois infelizmente não existe nenhum investimento com taxas tão exorbitantes que faça uma pequena quantia virar um milhão.

Contudo, fazendo aportes de forma consistente, no longo prazo você verá a multiplicação do seu patrimônio.

Ao determinar a quantia que será investida, é imprescindível que você invista apenas um dinheiro que não irá lhe fazer falta. Do contrário, você se enrolará financeiramente!

Se você ainda não consegue fazer o dinheiro sobrar, confira outros artigos do blog que possam te ajudar:







6º CONHEÇA O SEU PERFIL DE INVESTIDOR E FAÇA SIMULAÇÕES


O mercado financeiro é bastante sensível aos acontecimentos mundiais, principalmente econômicos. Isso significa que diversos fatores que ocorrem no Brasil e no mundo são capazes de influenciar o desempenho do mercado financeiro [investimentos].

No artigo sobre taxa de juros, citamos alguns investimentos que estão atrelados à Taxa Selic, a taxa de juros básica da nossa economia, portanto, o rendimento desses investimentos são afetado diretamente pela alta ou baixa dessa taxa.

A guerra comercial entre Estados Unidos e China afeta a bolsa de valores a cada notícia divulgada, por exemplo.

Tudo isso quer dizer que você deve estar psicologicamente preparada para as oscilações do mercado pois, por mais que você tente reduzir os riscos do seu investimento, a economia é cíclica e, naturalmente, os investimentos também são afetados pelas crises.

Devido a isso, é muito importante que antes de começar a investir você conheça o seu perfil de investidorExistem três perfis: conservador, moderado e agressivo/arrojado e essas classificações dizem respeito ao nível de risco ao qual o investidor está disposto a se expor.

Você pode fazer testes gratuitos na internet para descobrir o seu perfil e quais os tipos de investimentos adequados a ele. Basta pesquisar no Google e testar.

Há também a possibilidade de fazer o seu teste ao criar conta em uma corretora, que normalmente é gratuito.

Não obstante, você pode ainda utilizar simuladores de investimentos para verificar quanto renderia o seu dinheiro e alguma aplicação e comparar. Diversas corretoras disponibilizam gratuitamente seus simuladores, como a Rico, Easyinvest e muitas outras (é possível fazer simulações tanto na renda fixa como na bolsa de valores).

Quer uma melhor forma de aprender do zero a investir o seu dinheiro sem precisar correr nenhum risco?


7º CONHEÇA OS INVESTIMENTOS DISPONÍVEIS


Se você está aprendendo do zero como começar a investir, certamente não será fácil escolher o seu investimento logo de cara. Isso porque existem diversas opções de investimentos que funcionam de forma diferente, com rendimentos diferentes e riscos diferentes.

Para escolher um investimento, é importante que você não olhe somente o rendimento, pois dois outros aspectos também são relevantes na escolha: risco e liquidez.




Em seu livro Do Mil ao Milhão Sem Cortar o Cafezinho, Thiago Nigro destaca a relação entre esses 3 aspectos. Segundo ele, "é preciso ganhar algo com o que está na ponta oposta do que se escolhe" (p. 87, 2018).

Portanto, quanto maior o risco, maior deverá ser a rentabilidade do investimento, de forma que a rentabilidade funcione como um prêmio pela exposição ao maior risco.

Cada investimento oferece um perfil de rentabilidade, risco e retorno e é imprescindível que você os conheça antes de aplicar o seu dinheiro.

Existem dois tipos de investimentos disponíveis no mercado de capitais: os de renda fixa e renda variável.


INVESTIMENTO DE RENDA FIXA

São os investimentos cuja rentabilidade são mas previsíveis, pois são conhecidos no momento da aplicação e são considerados mais seguros e conservadores.

Os títulos de renda fixa normalmente são contratados a prazo de vencimento determinando, podendo ser resgatados antes do vencimento, segundo os termos de cada título.

Os investimentos de renda fixa são realizados diretamente em Títulos Públicos e Privados e, quando você os adquire, está na verdade emprestando o seu dinheiro ao emissor do papel (banco, empresa ou Governo) que, em troca, lhe paga uma remuneração por um determinado prazo, na forma de juros e/ou correção monetária.

Os investimentos de renda fixa podem ainda ser do tipo pré-fixado ou pós-fixado

Como o nome mesmo sugere, no primeiro, os rendimentos estarão de acordo com uma taxa já conhecida, enquanto no segundo você não conhecerá a sua rentabilidade no momento da aplicação, somente no resgate.

Esse tipo de rentabilidade pode ser analisado de forma estratégica segundo as previsões da economia. Quando a previsão é de corte de juros para os próximos anos, pode ser interessante que você invista em um título pré-fixado para garantir maior rentabilidade. Num contexto inverso, seria interessante o pós-fixado.

Principais vantagens:

  • previsibilidade de rendimento
  • opções asseguradas pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC)
  • maior liquidez
  • rendimentos superiores aos da poupança


Investimentos mais populares em renda fixa - PRIVADOS


Certificado de Depósito Bancário (CBD): título de dívida emitida pelos bancos para captar recursos e financiar suas atividades. Esse título rende mais do que a poupança, é garantido pelo FGC, oferece opções com liquidez diária e rendimentos pré, pós-fixado e híbrido. É possível investir no título a partir de R$100,00.

Certificado de Recebíveis do Agronegócio (CRA): está relacionado ao financiamento de atividades da agropecuária. Esse título é isento de Imposto de Renda (IRPF) e de Operações Financeiras (IOF), possui rentabilidade atrelada ao CDI (rende mais que a poupança), mas não é garantido pelo FGC. É possível investir no título a partir de R$10.000,00.

Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI): são emitidos para captar recursos para o financiamento das transações imobiliárias. Esse título é isento de Imposto de Renda (IRPF) e de Operações Financeiras (IOF), possui rentabilidade atrelada ao CDI (rende mais que a poupança), mas não é garantido pelo FGC. É possível investir no título a partir de R$10.000,00.

Debêntures: são emitidas por empresas (sociedades anônimas) para captar recursos. As debêntures podem ser isentas de Imposto de Renda (IRPF) e de Operações Financeiras (IOF), oportunidades de rentabilidade atrelada ao CDI (rende mais que a poupança), mas não é garantido pelo FGC.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI): emitido pelas instituições financeiras para captar recursos para o financiamento do setor imobiliário. Os rendimentos são atrativos e isentos de IR e o investimento é garantido pelo FGC. É possível investir no título a partir de R$5.000,00.

Letra de Crédito do Agronegócio (LCA): emitido pelas instituições financeiras para captar recursos para o financiamento do setor agrícola. Os rendimentos são atrativos e isentos de IR e o investimento é garantido pelo FGC. É possível investir no título a partir de R$5.000,00.


Investimentos mais populares em renda fixa - PÚBLICOS

Tesouro Direto: em uma parceria com a B3, esse título emitido pelo governo busca captar recursos para financiar suas atividades. Esse investimento é garantido pelo Governo Federal, sua liquidez é diária existem 5 opções desse título para investir. É possível fazer aportes a partir de R$30,00.

Tesouro Selic: título emitido pelo governo, que busca captar recursos para financiar suas atividades. Esse investimento se subdivide em 3 outros tipos: Tesouro IPCA (rendimentos atrelados à inflação), Tesouro Prefixado (rendimento a juros predefinidos) e Letra Financeira do Tesouro (LFT ou o próprio Tesouro Selic), que oferece rentabilidade a 100% da taxa Selic, enquanto. Esses investimentos são assegurados pelo Tesouro Nacional e é possível garantir liquidez diária. Confira os valores mínimos e taxas:




Existem ainda outros investimentos de renda fixa disponíveis para você, então recomendo que você se aprofunde ainda mais nos investimentos de renda fixa, principalmente se você tiver grandes quantias para investir e for conservador.


INVESTIMENTOS DE RENDA VARIÁVEL

Os investimentos em renda variável, como o próprio nome sugere, são remunerados a taxas que não são conhecidas no momento da aplicação e variam segundo as expectativas do mercado, portanto, não podem ser previstas.

Em virtude da variabilidade do retorno e da influência que o ambiente exerce no seu desempenho, os investimentos em renda variável são tidos como os de maior risco.

Mas calma! Esse risco não é algo absurdo e que vai tirar o seu sono enquanto deixar o seu dinheiro investido. Os investimentos em renda variável apenas são menos seguros que os demais, contudo, as chances de você perder todo o seu dinheiro são muito pequenas quando se faz boas escolhas.

Como bem destaca Ramiro Gomes Ferreira do Clube de Valor: "Só porque não conhecemos ou controlamos todos os aspectos de investimentos de renda variável, isso não significa que seja perigoso investir neles".

Principais vantagens:
  • maior rentabilidade;
  • opções seguras para aplicar;
  • diversificação de investimentos.

Investimentos mais populares na renda variável

Ações: representam uma fração do capital social de uma empresa. Ao comprar uma ação, você se torna sócia da empresa e passa a correr os riscos deste negócio bem como participa dos lucros (dividendos, juros sobre capital próprio) e prejuízos. É possível investir com qualquer valor, pois os preços das ações vão desde centavos a cerca de R$200,00.

Fundos Imobiliários (FIIs): reúnem investidores que captam recursos e fazem a gestão desse fundo para explorar locação de imóveis já prontos, arrendamento e outras operações. É uma forma de investir em imóveis sem possuir muito dinheiro. O valor de cada cota (participação no fundo) varia, mas é possível investir com pouco dinheiro.

Exchange Traded Fund (ETFs): são comercializados como ações mas, na verdade, são fundos de índices que tendem a replicar índices, como o Índice Bovespa, que representa uma "carteira de investimentos teórica" com as ações mais representativas e negociadas da Bolsa de Valores Brasileira (atual B3).

Fundos de Ações: contemplam carteiras de investimentos em renda variável que devem contemplar, no mínimo, 67% do patrimônio em ações. É uma maneira de participar do mercado sem adquirir ações diretamente.

Fundo Multimercado: é um fundo de investimentos que contempla em seu patrimônio diversos tipos de investimentos, de renda fixa e variável. 

Commodities: representam matérias primas que possibilitam estocagem sem perda da qualidade e seu preço é determinado pela oferta e demanda internacional, como petróleo, soja, ouro, café e outros.

Existem ainda vários outros investimentos de renda variável (Fundos Cambiais, Clubes de Investimentos, Opções, Mercado FuturoCâmbio, Derivativos e outros) que você pode pesquisar. 

Este não foram abordados nesse post para não torná-lo muito extenso e complexo para você que está começando agora a aprender do zero como investir.


8º CONHEÇA OS CUSTOS


Fazer bons investimentos não é tão simples quanto deixar o seu dinheiro na poupança, contudo, isso não quer dizer que investir é difícil [e muito menos que a poupança vale a pena].

Você sempre deve procurar saber quais custos estão envolvidos nas suas aplicações, pois nem todos são informados no momento em que você estiver aplicando o seu dinheiro, mas todas as informações são disponibilizadas na internet, então é muito importante que você saiba quais são os custos antes de começar a investir.

Não é possível generalizar quais são os custos de investir o seu dinheiro, pois cada um dos tipos de investimentos citados acima possuem um custo e cada corretora cobra um preço pelo serviço prestado, mas é possível investir com custo zero se você optar por investimentos mais convencionais como Tesouro Direto e Ações.

Para realizar o "pedido de compra" do investimento que você deseja adquirir, é necessário criar uma conta em uma corretora, que fará o intermédio entre você, investidor, e  emissor do seu título ou ação. 

Esse seria o seu primeiro custo, no entanto, a maioria das corretoras [senão todas] permitem que você abra a sua conta gratuitamente. Essas corretoras são também as melhores do mercado, como XP Investimentos, Clear, Rico, Modalmais, Easynvest e outras, portanto, você pode confiar nessa "esmola".

Para aplicar o dinheiro de fato em algum investimento é necessário ter dinheiro na sua corretora, é claro. Por isso, outro custo seriam as transferências bancárias do seu banco para a sua corretora, que só aceita conta corrente e no CPF do titular da conta em corretora (outro custo, já que contas correntes em bancos tradicionais não são gratuitas e você não poderá usar a de outra pessoa). 
Contudo, novamente, é possível fazer isso de forma gratuita, que seria utilizando os bancos digitais.

É possível criar uma conta corrente gratuita e que oferece transferências bancárias ilimitadas gratuitamente e zerar mais esses custos na hora de investir! Os bancos digitais mais populares são Banco Inter e a Nu Conta, do Nubank.

Para fazer o intermédio entre você e o seu investimento, as corretoras também cobram, visto que esse é o serviço delas.

Há ainda a chamada custódia, que consiste na administração dos ativos de sua carteira pela corretora que, portanto, pode cobrar por mais esse serviço.

Agora com menos opções, temos a corretora Clear e Banco Inter que não cobram por executar as ordens de compra ou venda dos seus investimentos (a chamada taxa de corretagem) e nem pela custódia dos ativos, enquanto XP, Rico e Modalmais também não cobram pela custódia.

No entanto, se você pretende investir no Tesouro Direto, é mais fácil encontrar corretoras que não cobrem pela corretagem nesses investimentos, como a Rico e Easynvest.

Esses são custos genéricos nos quais você incorreria independente do investimento escolhido. 

Há ainda os custos particulares à cada investimento, que poderão ser pagos à corretora, ao governo ou a Brasil, Bolsa, Balcão (B3), como o Imposto de Renda (IR), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), emolumentos, taxa de liquidação (em ações, por exemplo), taxas de administração, taxas de saída, taxas de performance (em fundos de investimento, por exemplo), taxas de carregamento (como em planos de previdência privada).

Mas não se assuste: normalmente esses custos não são abusivos e não representaram uma grande parcela de seu patrimônio, visto que alguns não chegam nem a 1% em várias operações.

Dada a variedade de investimentos e dos seus custos em cada corretora, não é possível que eu aborde todos os custos aqui, mas recomendo que você escolha um investimento e se aprofunde sobre os custos incorridos na operação.


9º ESCOLHA O INVESTIMENTO IDEAL PARA OS SEUS OBJETIVOS


Toda essa chuva de informações tem por finalidade chegarmos ao patamar de dar o grande passo começar do zero a investir o seu dinheiro: escolher o investimento que seja o mais alinhado possível com os seus objetivos financeiros.

É necessário pensar no seu objetivo neste momento devido as características particulares que cada investimento possui.

Se você tem o objetivo de constituir uma reserva de emergência, por exemplo (o que é extremamente recomendado que você tenha, antes de fazer investimentos mais arriscados), a aplicação que você deverá escolher não será a que vai te deixar rica, portanto, o investimento ideal seria uma aplicação de baixo risco, alta liquidez e uma rentabilidade média.

Agora, para objetivos cujo horizonte temporal é mais longo, como atingir sua independência financeira ou financiar o estudo dos filhos, por exemplo, não é necessário que o investimento possua alta liquidez, visto que você levará bons anos para resgatá-lo, logo, o "prêmio" por uma baixa liquidez poderia ser um risco moderado e alta rentabilidade.

Não faria muito sentido investir em somente em renda fixa (conservador e de rentabilidade relativamente baixa) se você não precisará desse dinheiro tão cedo.

Com muito conhecimento sobre o mercado, o investimento escolhido e sobre a sua capacidade de correr riscos, é sempre mais vantajoso recorrer a investimentos menos conservadores.

Devido a isso e à ação dos juros compostos, ter um horizonte de longo prazo nos seus investimentos é bastante atrativo, ou seja, deixar o seu dinheiro aplicado por muitos anos enquanto também faz aportes mensais.

Mas lembre-se: invista somente o dinheiro que você não precisará (de preferência nos próximos 12 meses) para que você não comece errado no mercado, descontrole as suas finanças e ainda saia desapontado com o mercado financeiro que dá tanta oportunidade de enriquecimento aos investidores. Tenha reservas de emergência suficientes para custear 6 meses do seu custo de vida se você for assalariado e 12 meses se você for empresário ou autônomo.

Após escolher o seu investimento, abra a sua conta em uma corretora que melhor lhe atender, visto que, a depender do seu investimento, uma opção pode ser mais favorável e de menor custo que outra.

Enquanto a Clear é gratuita para operações diversas operações de renda variável (e também fixa), a Rico não cobra taxa de corretagem na renda fixa e a Modalmais não cobra nas operações índice e dólar futuros. Entende como a escolha do seu investimento é relevante para a escolha da sua corretora de valores?

As operações (também chamadas de "ordem") de compra e venda dos seus investimentos são executadas em uma plataforma digital chamada home broker e a sua interface varia em cada corretora, portanto, infelizmente não mostrarei aqui como fazer o seu investimento na prática, mas adianto que as corretoras costumam ter plataformas bastante intuitivas e, assim, você não terá grandes dificuldades em investir.



CONSIDERAÇÕES FINAIS — Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro

Esse guia completo tem a finalidade de te ajudar a aprender do zero como começar a investir o seu dinheiro. 

Para isso, é necessário ter muito conhecimento sobre diversos aspectos e jargões do mercado, mas talvez o autoconhecimento seja o mais importante.

Falamos sobre como o dinheiro não corrompe as pessoas mas revela quem realmente são, portanto, seu mindset não deve abominar a riqueza e deve estar sempre alinhado com os seus objetivos financeiros.

Além disso, os investimentos no geral são influenciados pelas condições de mercado e acontecimentos que ocorrem no Brasil e no mundo, por isso, é importante que você saiba qual é o seu perfil de investidor e a sua tolerância para correr riscos, pois você certamente nunca perderá o seu dinheiro, desde que tenha paciência e tolerância aos riscos [calculados].

Para começar a investir o seu dinheiro e não errar ao tentar multiplicar o seu patrimônio, você deve compreender com clareza a diferença entre ativos passivos: os ativos afetam positivamente os eu patrimônio, gerando renda para você, enquanto os passivos geram mais despesas e, portanto, subtraem o seu patrimônio.

A partir disso, priorize sempre a compra de ativos mas invista somente um dinheiro que não vai precisar e não descontrole a sua vida financeira!

Principalmente se você tiver um perfil mais conservador, comece pela sua reserva de emergência e, caso ainda não se sinta segura para entrar no mercado financeiro, utilize simuladores de investimentos em renda fixa e bolsa de valores para "sentir o mercado" e entender melhor como ele funciona.

Por fim, conheça os investimentos disponíveis e os custos incorridos em cada investimento oferecido em cada corretora para, finalmente, escolher qual o investimento ideal para os seus objetivos financeiros e para o seu perfil. Aí é só escolher a melhor corretora para você e começar a investir!

Para minimizar custos, opte por bancos digitais (como o Banco Inter, que também oferece home broker gratuito) e corretoras que oferecem serviços gratuitos (como a Clear, praticamente 100% gratuita). Falarei mais sobre essas duas instituições nos próximos posts mas já adianto que sou cliente de ambas há mais de ano e estou bastante satisfeita.

Eu espero muito que esse post ajude você a começar a investir o seu dinheiro e, mais do que isso, entender mais sobre o mercado financeiro e as diversas opções disponíveis para você multiplicar o seu patrimônio (com custo zero!). 

Agora me conta nos comentários se esse post te ajudou, se você já investe ou no que pretende investir. Vamos trocar experiências! [Eu apliquei na poupança por 5 anos, no Tesouro Direto há mais de um ano e em minha carteira predominam ações — também há mais de um ano].

+ Clique aqui e conheça o planner financeiro do blog!


+ Siga o blog nas redes sociais:
Pinterest/queromeformar


+ PINE A IMAGEM PARA NÃO ESQUECER!
Imagens para Pinterest Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo



+ GOSTOU DAS DICAS? SALVE O INFOGRÁFICO!

Infográfico Aprenda do Zero Como Começar a Investir o Seu Dinheiro — Guia Completo



REFERÊNCIAS

5 Dicas Para Começar a Investir Agora!. Bússola do Investidor. Acesso em: 25/01/2020.

6 Coisas Que Você Precisa Saber Para Começar A Investir. GuiaInvest. Acesso em: 25/01/2020.

Como Começar a Investir Com Segurança e Rentabilidade [7 Passos]. Blog da Rico. Acesso em: 23/01/2020.

Commodities - O que são?. Toro RadarAcesso em: 25/01/2020.

Custos Operacionais. XP InvestimentosAcesso em: 25/01/2020.

Fundo de Ações: Como Funciona, Qual o Melhor, Como Investir. Blog da RicoAcesso em: 25/01/2020.

Fundos de Investimentos. XP InvestimentosAcesso em: 25/01/2020.

Fundos de investimento em ações. Portal do InvestidorAcesso em: 25/01/2020.

Fundos multimercados: conheça esta modalidade de investimento. BTG Pactual digitalAcesso em: 25/01/2020.

O Que é Independência Financeira e Como Conquistar a Sua [Dicas]. Blog da RicoAcesso em: 23/01/2020.

O que é Ibovespa? Entenda como funciona o principal índice da Bolsa. Blog ClearAcesso em: 25/01/2020.

O que é Renda Fixa e por que investir?. XP Investimentos. Acesso em: 26/01/2020. 

O que é Renda Variável: Vale a Pena? Quais são os Riscos? Tudo o que Você Precisa Saber Antes de Investir. Clube de Valor. Acesso em: 25/01/2020.

O que é um ETF?. InfoMoneyAcesso em: 25/01/2020.

Quais Os Custos Do Tesouro Direto?. GuiaInvestAcesso em: 25/01/2020.

Quanto custa a bolsa? Conheça as taxas que incidem sobre o investimento em ações. Seu DinheiroAcesso em: 25/01/2020.

Tipos de investimentos: quais os existentes no Brasil?. MonetusAcesso em: 23/01/2020.

Veja quais são os custos para investir seu dinheiro!. André VonaAcesso em: 26/01/2020.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Lembre-se de que todo e qualquer comentário é de inteira responsabilidade do autor.
- Não pratique spam!
- Deixe a opção "Notifique-me" marcada para que você receba uma notificação quando seu comentário for respondido.